Cirurgia da Calvície com Segurança

O transplante de cabelos é uma cirurgia e como tal deve ser realizada com segurança. Independente da técnica utilizada para a reconstrução capilar há fatos que o paciente deve levar em conta no momento da escolha do profissional que o atenderá. A seguir são descritas:

Capacitação Profissional

O profissional que realiza o procedimento deve ser médico especialista, cirurgião plástico ou dermatologista, segundo a Associação Brasileira de Cirurgia da Reconstrução Capilar, isso significa que o profissional estudou, pelo menos, 11 anos para exercer sua função. Há uma invasão de não médicos e médicos não especialista realizando o procedimento no Brasil e no mundo, eles não estão capacitados a exercer tal procedimento. A melhor forma de conhecer um profissional e no site da Plataforma Lattes que descrevera a formação do profissional.

Procure aqui sobre o profissional, não se esqueça de assinalar “demais pesquisadores…”

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/busca.do?metodo=apresentar

Atualização Profissional

Não basta somente o especialista se formar devidamente. A medicina evolui rapidamente. Poucas técnicas cirúrgicas tiveram tanta evolução como a cirurgia da calvície nos últimos anos. As técnicas primordiais de transplante de cabelos eram rudimentares e grosseiras, causando o famigerado cabelo de boneca. Com o advento da estereoscópia e das microlâminas, foi possível a utilização das unidades e famílias foliculares no transplante de cabelos, o que propiciou extrema naturalidade ao procedimento. A técnica da sutura tricofítica propicia uma melhora muito importante da cicatriz linear resultante da técnica FUT. A técnica FUE também trouxe novas possibilidades a cirurgia calvície, pacientes que não podiam mais fazer a técnica FUT atualmente podem realizar novos procedimentos. Com o FUE e possível corrigir transplantes mais grosseiros e linhas frontais artificiais, retirando cabelos implantados indevidamente e enxerta-los novamente em área devida. Transplantes de barba e bigode e de pelos do corpo são uma nova possibilidade com o FUE. Os estudos e evoluções da cirurgia continuam, muitos profissionais além de cirurgiões são pesquisadores interessados no ensino evolução dessa cirurgia, por isso atualização deve ser constante.

Experiência Profissional

“Não basta estudar e atualizar, tem que praticar”. Quanto maior o número de cirurgias melhor tecnicamente será o profissional e maior experiência terá, com a capacidade de escolher a melhor técnica para cada tipo de calvície e necessidade do paciente, além prevenir e tratar as possíveis intercorrências e complicações cirúrgicas antecipadamente.

Consulta pré cirurgia

A pré consulta é importantíssima. O médico deve avaliar pessoalmente o paciente de forma geral e em relação a sua calvície, avaliando: tipo de cabelo, densidade da área doadora, causa da calvície, tempo de evolução, agressividade da calvície, tamanho e classificação da calvície, existência de parentes diretos com calvície, tratamentos prévios, o desejo do paciente e permissão de raspar os cabelos antes da cirurgia. De posse desses dados o médico pode discutir sobre a cirurgia em relação:

  • Programação Linha pilosa frontal e a região a ser transplantada em cada sessão, na coroa, na região frontal, regiões laterais ou em todas e quantas sessões serão necessárias, deve haver um consenso em relação ao desejo do paciente e o limite técnico da cirurgia pois, quanto maior a área a ser transplantada, área calva, menor será a densidade de cabelo obtida e também maior o número de procedimentos necessários. O transplante de cabelos não cria cabelos e sim os redistribui.
  • Técnica a ser utilizada para a retirada da área doadora: pela tira de couro cabeludo (FUT), retira das unidades e famílias foliculares unitariamente com o micro punch (FUE) ou a técnica mista utilizando a técnica FUE e FUT concomitantemente. Todas essas técnicas permitem mais de um procedimento de transplante de cabelos desde que haja área doadora suficiente e respeitando o tempo de 8 meses pelo menos entre as cirurgias.

Avaliação Clínica e Laboratorial

A avaliação clínica, saúde do paciente, doenças prévias e atuais, utilização de medicações e vícios, seguida do exame físico geral e direcionado e exames laboratoriais é obrigatório. Se necessário avaliação e liberação de outros especialistas médicos que haja necessidade dependendo de doenças existentes. Isso é importantíssimo. Pacientes de qualquer idade podem realizar o transplante de cabelos, mesmo portadores de diversas doenças. Nesses casos serão solicitados exames específicos e avaliações e liberações dos médicos responsáveis pelos tratamentos desses pacientes.

Local da Cirurgia

É realizado em ambiente hospitalar. Sob supervisão de anestesista. O único local que oferece a total segurança ao paciente em cirurgias de médio e grande porte é o hospital. A cirurgia de transplante de cabelos é uma cirurgia longa e geralmente todo o couro cabeludo é anestesiado. Privamos pela segurança de nossos pacientes. Nossas cirurgias são realizadas no Hospital Defeitos da Face da Cruz Vermelha de São Paulo, que conta com UTI e equipe ao dispor se necessário. Somente pequenos transplantes de cabelos podem ser feitos em ambiente ambulatorial com anestesia local.

Anestesia

Nossas cirurgias de transplante de cabelos com anestesia local associada a sedação realizada por anestesista. O paciente dorme durante a cirurgia. Fazemos isso por questão de comodidade do paciente, não sente absolutamente nada durante a cirurgia, facilita o procedimento para o cirurgião, diminui o tempo de cirurgia e principalmente propicia segurança ao paciente. Durante toda a cirurgia o anestesista acompanha o procedimento.

Equipe e equipamento

O transplante de cabelos exige numerosa e experiente equipe além de equipamentos cirúrgicos específicos, sofisticados e extremamente delicados, na grande maioria importados. Tudo o que entra em contato com o paciente é descartável ou esterilizado sob criteriosas normas do hospital. Tanto a separação e lapidação dos folículos pilosos são realizados com auxilio de estereoscópios. Para a implantação das unidades e famílias foliculares utilizamos uma microlâmina 0,5 mm e lupas cirúrgicas, potentes com elas obtemos um furo que coincide com o tamanho dos enxertos e levam a cicatrizes imperceptíveis ao olho nu.

Sequência Pós-Operatória

O tratamento da calvície não acaba com a cirurgia. Retornos são importantes para a avaliação da evolução e sucesso da cirurgia, além disso para o tratamento clínico após a cirurgia o paciente deve ser acompanhado. A alta teoricamente pode ser dada em 1 ano e meio após a cirurgia, porem preferimos seguir o paciente por mais tempo.

Avaliação online

Saiba qual o tratamento para queda de cabelo e o mais adequado para você.

Fazer avaliação online agora

FAÇA UMA BUSCA PELO SITE

O Cirurgião Capilar

O tratamento na calvície não acaba na cirurgia, nossa equipe é extremamente atenciosa com o paciente, garantindo todo o suporte necessário, antes, durante e depois na cirurgia. DR. SANDRO SALANITRI Especialista em implante capilar

Especialista em implante capilar

ENQUETE

    • Qual a sua maior duvida no transplante de cabelos?

      Carregando ... Carregando ...
  • Qual o seu problema?